contato@gestartcondominios.com.br
Gestart Condomínios | Jardim no condomínio
16923
post-template-default,single,single-post,postid-16923,single-format-standard,ajax_updown_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive

Jardim no condomínio

jardim-no-condominio-gestart-condominios

Jardim no condomínio

Um jardim saudável e bonito colabora na valorização do imóvel no condomínio.

Plantas e árvores dentro dos condomínios são muito importantes para o convívio dos condôminos e para a valorização do patrimônio.

Com as famílias buscando por mais qualidade de vida, entre outros fatores, jardins dentro dos condomínios se tornam uma boa alternativa para um ambiente mais limpo e saudável.

Mas temos que lembrar que, a falta de manutenção adequada pode, por exemplo, comprometer toda a estrutura, o solo e as plantas do jardim. E ter que fazer um jardim inteiro não é algo barato.

Por isso, é importante saber os cuidados necessários para a manutenção, obras interessantes que podem ser feitas para melhorar o local, espécies recomendadas e espécies a evitar (inclusive em vasos colocados em espaços internos), e como lidar com problemas comuns.

Aqui vai algumas dicas.

DEFINA A PERIODICIDADE DAS TAREFAS DE MANUTENÇÃO

A periodicidade da rega está totalmente relacionada com as espécies que compõem o jardim do condomínio. Caso você seja o responsável por dar vida a esse espaço, vale uma conversa prévia com o síndico a fim de entender qual é o investimento que está disponível para a manutenção desse espaço. E aqui, quando se fala em investimento, também está relacionado a tempo. Se a presença de um profissional da área de paisagismo é semanal e não há zelador, por exemplo, o ideal é que as flores escolhidas não sejam de rega diária. A mesma premissa vale para podas e cortes de grama, serviços que precisam de uma periodicidade minimamente definida.

INVISTA EM UMA REGA DE QUALIDADE

Um dos itens mais importantes na manutenção de qualquer jardim é a rega. Por isso, toda a atenção é pouca. Não deixe de observar, por exemplo, a reação da planta à periodicidade das regas. Isso é fundamental para manter um jardim saudável por meio do bom senso. E quando se fala em comportamento das plantas é importante entender que nas estações em que há mais sol haverá uma necessidade de água muito maior que no inverno.

A TERRA TAMBÉM É IMPORTANTE

Juntamente com a rega, a qualidade da terra é a responsável pelo sucesso do jardim do condomínio. E nesse ponto o trabalho de um profissional da área é fundamental. Por isso, caso você esteja trabalhando para o condomínio, não deixe de prestar uma consultoria sobre as necessidades da terra do local a fim de aprimorar o serviço. Síndicos devem igualmente considerar a contratação de um profissional para prestar a adubação principal – aquela que ocorre entre três e quatro vezes no ano – para ter um maior custo-benefício. Profissionais da área de paisagismo devem estar sempre atentos, ainda, para o controle de pragas, agravante que pode estragar um jardim. No caso de condomínios, é altamente recomendada a contratação profissional para evitar qualquer tipo de contaminação.

É PRECISO REGULARIDADE NA MANUTENÇÃO

De forma mais ativa, pequenas ações de manutenção são de extrema importância em grandes jardins. A primeira delas é atentar ao aparecimento de plantas daninhas que possam prejudicar o crescimento saudável de flores e plantas. Além disso, podas devem ser feitas sempre que alguma espécie estiver com folhas e galhos grandes, ou quando apresentar galhos secos ou doentes.

PRESTE ATENÇÃO NA ESCOLHA DAS ESPÉCIES

A assertividade de um jardim está diretamente relacionada com as espécies escolhidas para sua composição. Por isso, jamais inclua no planejamento de um condomínio uma planta de forma aleatória. É preciso conhecer antes a estrutura das casas ou prédios a fim de garantir que a raiz ou o tamanho não irão gerar qualquer tipo de dano. Outros fatores a serem levados em consideração são o quanto a planta escolhida precisa de luz, a posição solar do condomínio e a demanda de rega em relação à disponibilidade de mão de obra. É imprescindível ainda evitar a aquisição de plantas que possam ser tóxicas para evitar que animais e crianças fiquem expostos a algum tipo de intoxicação acidental. Além disso, evite comprar sementes: elas demoram muito para germinar e as outras plantas acabam crescendo mais rápido e ocupando seu espaço. Não se esqueça ainda de analisar se alguma muda escolhida tem insetos que possam ir para outras plantas e causar problemas.

ADEQUAR-SE A CADA ESTAÇÃO

O trabalho de manutenção profissional de jardins de condomínio muda conforme as estações. Na primavera e no verão, por exemplo, o principal cuidado a ser tomado está no controle de pragas que tendem a se proliferar com calor e umidade. Já o outono consiste no período mais propenso à limpeza de canteiros e excesso de folhas. Adubações químicas também devem ser feitas aproveitando o clima mais ameno. Por fim, tenha uma maior atenção no inverno. Em função do frio que afeta mais as plantas, se faz fundamental um maior cuidado, por meio de coberturas de solo com substrato ou terra mista peneirada para manter a umidade e fortalecer o sistema radicular, além de realizar as podas de limpeza.

MANTENHA OS CANTEIROS CERCADOS

Em espaços de maior circulação de pessoas, animais e carros uma das formas de manter o jardim sem depredação é investindo no cercamento da área. No entanto, quem não sofre com o problema de passagens de carro no local do jardim e quer apenas protegê-lo de animais e depredações, uma solução é a inserção de plantas espinhosas, como, por exemplo, a Coroa de Cristo, roseiras e arbustos de Três Marias.

Esse conhecimento é importante para lidar com profissionais e empresas que serão contratados para cuidar do seu jardim.